13 de ago de 2012

Ensaio sobre relacionamentos

Hoje, lendo o blog de uma amiga gastroplastizada, li sobre uma estatística que me assusta bastante: índice de separações pós bariátrica.

Bem, vamos lá. Em primeiro lugar, um obeso, normalmente, se isola do mundo, não tem amor próprio, não se cuida, não tem vida social ativa, enfim, ele fica restrito ao seu mundinho, onde fica protegido, em tese. A baixa auto estima e a falta total de amor próprio, faz com que a pessoa obesa não reaja a situações que a magoam, ferem pois ela não se acha merecedora de felicidade.

No aspecto emocional, se o casamento, noivado, namoro não é extremamente sólido, baseado em respeito, amor e confiança, ele já é falido enquanto o obeso ainda é um doente. O parceiro humilha, desrespeita, trai, ignora, desfavorece e o obeso, se achando o pior dos elementos terrestres, aceita, calado, a humilhação, afinal, em sua mente, ele é merecedor daquilo tudo, ou ainda, não tem forças para reagir, afinal, melhor com ele que sozinho, quem vai querer ficar com uma pessoa como eu, pergunta o obeso a si mesmo.

Não é que os relacionamentos se desestruturam nestes casos após o emagrecimento por que os parceiros "não aguentam o tranco", eles se mostram desestruturados como sempre foram, por que o ex obeso adquire amor próprio, respeito por si e não engole mais sapos, claro, estamos falando de pessoas que conseguem trabalhar corretamente seu psicológico, para assumir a nova posição.

Os pés na bunda ocorrem nestes casos por que já deveriam ter ocorrido antes, só por isso. Nada mais.

Há ainda casos onde, principalmente as mulheres, se deslumbram demais, ou seja, elas não emagrecem  com foco na saúde, no bem estar, na longevidade, emagrecem para caber numa calça 38. Ai meus caros, não há ser humano que resista a tanto narcisismo... Já visitei alguns blogs onde só se fala de roupas novas, o quão linda estão agora, o quanto fazem sucesso ao passar na rua, em consumismo, ou seja, infelizmente pessoas não seguem as recomendações e não fazem acompanhamento psicológico e piram, literalmente, achando que passaram a ser o umbigo do universo. Ai também não dá pra conviver com alguém que só pensa em si mesmo não é?

O grande fato é que o sucesso da cirurgia bariátrica está diretamente atrelada a real necessidade da mesma, ou seja, deve ser feita para melhora da SAÚDE e para isso, deve-se observar todos os fatores físicos e psicológicos. O acompanhamento multidisciplinar é importantíssimo para o sucesso do processo. E não tem mágica não, se não partir do doente, não há como fazer milagre não.

A cirurgia é um meio para melhoria da saúde do paciente, não é milagre. Casamentos falidos não vão ser salvos pela cirurgia, pessoas de baixa auto estima não vão se amar por conta da cirurgia, pessoas negativas, com depressão, toc, transtornos psicológicos e psiquiátricos não vão se curar com a cirurgia, muito pelo contrário. A avaliação psicológica, tão banalizada nesse paizinho onde tudo tem preço, deveria ser o documento mais sério do processo, e é o mais banalizado, o mais "barato".

Cansei de ver pessoas que compraram laudos, psicólogos que venderam laudos, e o resultado? Trágico lógico. Pessoas que nunca poderiam ter se submetido a cirurgia a fizeram e começaram a ter muito mais problemas que antes. Pessoas que vivem alucinadas a base de tarja preta ou pior, isoladas do mundo por outros motivos que não a obesidade...

É muito comum ouvir falar: "Fulano emagreceu e perdeu totalmente a personalidade e identidade", já ouviram isso? Pois é... por que será?

Pensem nisso. Não existe gordura cerebral que modifique comportamento. Isso é mudança de atitude, de hábitos, de visão e não é necessária uma cirurgia tão agressiva para que isso ocorra, basta vontade de mudar e uma bela ajuda profissional, religiosa, enfim, multidisciplinar.

Voltando ao foco, relacionamentos, se o relacionamento é sólido, respeitoso, baseado em amor verdadeiro, a cirurgia só faz com que o mesmo se fortaleça e melhore a cada dia, pois quando amamos de verdade, queremos ver o outro bem, feliz, e isso, inevitavelmente nos faz bem e nos deixa felizes.

A real beleza não se vê, se sente. Obeso ou não, isso é imutável.




2 comentários:

Paula disse...

Oi Gisele!
Primeiramente estou encantada com seu blog...
Comecei hj a luta contra obesidade, foi minha primeira consulta com o Dr Nestor, me indicou pra cirurgia e me deu aquele monte de exames pra fazer...confesso que estou muito feliz com este primeiro passo. E cá estou na internet pesquisando sobre o assunto,o Dr. Nestor, Instituto Garrido e encontrei você, rs...
Li alguns pots e estou mais empolgada ainda...afinal hj estou pesando 112kl com 1,68 de altura...ja cheguei ao auge de 122kl. E na luta consegui emagrecer chegando a 98kl, mas...estou recuperando estes kilos q não desgrudam...rsrsrs Bom Vou ficando por aki, se não vou escrever um livro pra ti!! e obrigada pela sua iniciativa de compartilhar algo tão importante pra nós!

bju Paula

Gisele disse...

Oi Paula!
Dr. Nestor é um fofo, adoro ele. Seguinte, como já entrei numa fase que nem me lembro mais da gastro, se quiser trocar alguma idéia, fazer alguma pergunta, pode entrar em contato comigo por email tá? giseleos@gmail.com

Bjs

Gisele